Hiperatividade

A hiperatividade provavelmente é a conduta mais típica em S.A. Se descreve melhor como hipermotricidade com pouca atenção concentrada. Essencialmente todos as crianças S.A tem algum componente de hiperatividade e meninos e meninas parecem igualmente afetados. Tanto os meninos quanto os jovens podem ter uma atividade aparentemente incessante, constantemente colocando suas mãos ou objetos em sua boca, movimentando-se de um lado para o outro. Em casos extremos, o movimento constante pode causar acidentes, contusões ou ferimentos. Condutas como agarrar, beliscar e morder a meninos maiores se tem constatado que, também, podem acentuar-se pela atividade hipermotora. Terapias persistentes e consistentes de modificação de conduta ajudam a diminuir ou eliminar estas condutas não desejadas.

Tempo de atenção pode ser tão curto que impeça a interação social ao não poder o menino S.A captar as expressões faciais e outros sinais sociais. Em casos leves, a atenção pode ser suficiente para aprender a linguagem de sinais e outras técnicas de comunicação. Para estes meninos, programas de entretenimento educativo e de desenvolvimento são fáceis de estruturar e geralmente são eficazes. Observações em jovens adultos sugerem que a hiperatividade diminui com a idade. A maioria dos meninos S.A não tomam medicação para a hiperatividade quando alguns poderiam se beneficiar do uso de medicações como methyiphenidate (Ritalin). O uso de agentes sedantes como phenothiazines não é recomendado devido a sua potência e efeitos secundários.