Fala e linguagem

Algumas crianças S.A parecem ter bastante compreensão para serem capazes de falar, porém incluído nos de mais alto nível, a linguagem conversacional não se desenvolve. Clayton-Smith informaram que alguns indivíduos falaram 1-3 palavras, em um estudo de 47 indivíduos, Buntirix et al, informaram que 39% falaram até 4 palavras, porém não sabiam se estas palavras foram usadas de acordo com o seu significado. Crianças com S.A causado pôr disomia uniparental ou pôr deleções extremamente pequenas podem ter capacidades verbais e cognoscitivas mais altas; podem chegar a usar de 10-20 palavras ainda que com a pronuncia errada.

A incapacidade na fala em AS tem uma evolução algo típica. Os bebes e os meninos novos choram menos amiúde e é reduzido o arrulho e o balbucio. Uma só palavra clara, como “mamãe”, pode tardar em desenvolver-se ao redor de 10-18 meses porém é usada sem freqüência e indiscriminadamente sem seu sentido simbólico. Aos 2-3 anos de idade, está claro que tem um retardo na fala porém pode não ser evidente quão pequena é a sua capacidade verbal; chorando e com outros arranques verbais pode mascarar o seu déficit. Aos 3 anos de idade, as crianças S.A de nível mais alto estão começando algum tipo de linguagem não verbal.Alguns apontam para partes do seu corpo e indicam algumas de suas necessidades através do uso de gestos simples, porem seu nível de compreensão é muito mais alto na hora de entender e seguir ordens. Outros, sobretudo aqueles com deleção muito grande ou os muito hiperativos não podem manter sua atenção o suficiente para lograr suas primeiras fases de comunicação, ou como estabelecer um contato visual sustentado. A capacidade de linguagem não verbal de crianças S.A varia grandemente; os mais avançados são capazes de aprender alguma linguagem de sinal e usar murais de comunicação baseados em imagens.